Sonic the Hedgehog: morrendo desde 2002 (título irônico)

(Imagem retirada da internet)

Estreando o blog com um tema bem polêmico. Resolvi escrever sobre este assunto por diversos motivos. Um deles é porque há alguns anos existe um pânico generalizado e infundado de que a série está morrendo comercialmente devido a supostos fracassos sucessivos dos últimos jogos em 3D. Outro é porque eu assisti uma live no Youtube sobre o futuro da franquia e parte dos comentaristas que estavam participando do debate falaram coisas como: "A Sega não tem tantos recursos, ela não produz mais consoles que nem a Nintendo, Sony ou Microsoft". A questão é que boa parte dessas afirmações não são exatamente baseadas em dados concretos, na verdade, são bem distantes da realidade e vou explicar porquê no decorrer do post.

"A Sega 'faliu' e só vive de Sonic"

Começando pelo real estado financeiro da Sega na atualidade e quanto ela realmente depende da franquia Sonic. Muitas pessoas acreditam que a Sega era uma empresa maior na época que ela produzia consoles, porém, a maior parte do período que ela insistiu nesse nicho de mercado foi marcado por decréscimos nos lucros e posteriormente altos prejuízos.

Prejuízos da Sega durante os anos 90 e início da década de 2000 (Fonte: Wikimedia Commons)

Como podem observar neste gráfico, a partir do ano de 1994 a Sega passou a ter quedas nos lucros e de 1998 a 2001, a ter prejuízos significativos, período que coincide com o Dreamcast, seu último console. De 2003 em diante, quando a empresa optou por abandonar este ramo e a produzir jogos para os consoles das outras empresas, a Sega voltou a ter saúde financeira.

Na verdade, a Sega só teve um videogame comercialmente bem-sucedido que foi o Mega Drive (ou Genesis, como era chamado nos Estados Unidos). Todas as outras tentativas não deram muito certo. Seu antecessor foi o Master System, um console de 8bits concorrente do NES da Nintendo. Foi o meu primeiro videogame e ele era incrível, porém, só foi popular no Brasil (graças a Tectoy) e parte da Europa. Game Gear, uma das tentativas de console portátil da Sega que também era incrível, teve uma participação de mercado minúscula e foi esmagado pelo Gameboy da Nintendo. Sega Saturn só foi popular no Japão, no resto do mundo foi um fracasso, o que levou a uma morte prematura. Por fim, teve o Dreamcast que teve um começo bom em vendas, mas que foi engolido pelo Playstation 2 antes que a Sega pudesse recuperar o dinheiro investido nele. Isso porque não mencionei as tentativas anteriores ao Master System que a Sega fez no Japão, Sega Mark I e II, etc, e periféricos como Sega CD e 32X.

Dreamcast foi a última tentativa da Sega no ramo de consoles. (Imagem retirada da internet)

E como está a Sega atualmente? Bem, de acordo com o portal The Daily Records, em 2019, a Sega esteve entre as 10 das companhias do ramo de games mais ricas do mundo, ocupando a quarta posição e na frente de gigantes como Ubisoft, Square Enix, Konami, Activision Blizzard, Eletronic Arts, entre outras. Este ranking está sempre variando ano a ano já que é baseado no valor de mercado, mas a Sega tem se mantido estável dentro do top 10.

Apesar de Sonic ser provavelmente a marca mais valiosa da Sega, isso não significa que ela viva apenas dele. Na verdade, a Sega é detentora de 61 franquias de videogames. Ela também é proprietária de 10 subsidiárias desenvolvedoras de jogos, 2 estúdios de animação e 2 produtoras de brinquedos.

Como vocês podem constatar por estes dados, a Sega é uma empresa mais bem-sucedida hoje do que na suposta "era de ouro" e está muito longe de falir ou de não ter recursos para investir nos jogos do Sonic. É verdade que os três principais títulos dos últimos anos tiveram visivelmente um orçamento menor: Sonic Lost World (2013), Sonic Forces (2017) e Team Sonic Racing (2019). Forces, por exemplo, é o primeiro jogo do Sonic em muitos anos que não possui cutscenes em CGI, além de ter tido uma equipe de desenvolvimento consideravelmente menor do que a de jogos mais antigos e composta, em sua maioria, por profissionais menos experientes. De acordo com a desenvolvedora Sumo Digital, responsável pelo título, Team Sonic Racing também foi desenvolvido por uma equipe menos experiente. Não sabemos o que levou a Sega a economizar com estes títulos, são decisões de negócios, mas isso não tem a ver com falta de dinheiro ou falência iminente.

"Sonic está morrendo"

Sonic vende mal? Fracasso
(Imagem retirada da internet)

Há quanto tempo? Sou fã do Sonic desde criança, já deve fazer quase 20 anos, e desde sempre ouço as pessoas falarem que a série Sonic está morrendo. Deve ser de uma doença muito lenta porque em todos esses anos a morte iminente ainda não chegou 😨 (aviso de ironia). Sempre que vou conversar com alguém sobre o estado da franquia, mencionam o jogo Sonic the Hedgehog 2006 lançado para Xbox 360 e Playstation 3, como exemplo de que o ouriço anda mal. Sonic 2006 é realmente um título muito fraco e deve ser o ponto mais baixo da trajetória do Sonic, era um jogo muito aguardado e hypado e foi um fiasco colossal. Entretanto, o próprio título do game denuncia o quanto está concepção está desatualizada: este ano ele completa 14 anos de lançado.

Depois do Sonic 2006, foram lançados até agora mais de 30 jogos do Sonic. Apesar de boa parte destes títulos terem recebido críticas da mídia especializada, a massiva maioria teve ótimos números de vendas: Sonic and the Secret Rings, primeiro jogo do Sonic para o Nintendo Wii, vendeu mais de 3 milhões de cópias, Sonic Unleashed, jogo da série principal que sucedeu Sonic 2006, vendeu quase 5 milhões de cópias, Sonic Generations atingiu quase 4 milhões, só para citar alguns exemplos. Essas informações foram retiradas do VGChartz, um site especializado em estimar vendas de jogos e consoles com base em dados do varejo. No entanto, desde 2018, eles pararam de contabilizar vendas de software porque com o crescimento do mercado de mídia digital as estimativas começaram a ficar muito imprecisas (os dados são referentes apenas a vendas físicas).

Em 2017, a Sega divulgou que a franquia Sonic the Hedgehog já vendeu 360 milhões de cópias de jogos eletrônicos. Sendo que, no ano anterior o número era 350 milhões, ou seja, entre os anos de 2016 e 2017, Sonic vendeu 10 milhões de cópias! Este aumento veio tanto de jogos recentes (como Sonic Mania que havia sido lançado na época), quanto do catálogo de títulos anteriores disponíveis em lojas físicas e digitais das mais variadas plataformas.

"Sonic Boom quase matou Sonic em 2014"

(Imagem retirada da internet)

Antes de adentrar este tópico, eu preciso esclarecer que odeio Sonic Boom. Sim, eu odeio absolutamente tudo relacionado a está sub franquia do azulão. Eu não assisti os desenhos animados, não comprei os jogos (e não tenho nem curiosidade de fazer isso) e não li os quadrinhos. Quando eu olhos para as imagens do design do Sonic e do Knuckles, eu me sinto tão desconfortável que a maior parte do tempo eu prefiro fingir que esse negócio nunca aconteceu. No entanto, independentemente da minha opinião ou da minha rejeição ao projeto Sonic Boom, ele não foi um fiasco comercial como a maioria das pessoas acredita, ou como a mídia gamer costuma noticiar.

Para quem está por fora, Sonic Boom foi uma iniciativa multimídia idealizada pela Sega Americana no ano de 2014 que envolveu um desenho animado exibido pelo Cartoon Network, jogos exclusivos para plataformas da Nintendo e uma série de quadrinhos publicada pela editora Archie Comics, responsável pelas HQs do Sonic na época.

Trailer da série animada de Sonic Boom.

Os jogos do Sonic Boom foram desastres. Sonic Boom: The Rise of Lyric para Nintendo Wii U consegue, sem sombra de dúvidas, ser pior que o famigerado Sonic 2006. Já os dois títulos para Nintendo 3DS não chegam a ser jogos ruins, na verdade, Fire & Ice possui uns elementos de Metroidvania bem interessantes, mas ambos são esquecíveis e irrelevantes. Eu não fiz questão de adquirir e muito menos terminar nenhum. Joguei apenas as demos e assisti reviews. O que me incomoda nesses títulos, além de toda a proposta de gameplay muito esquisita, é a direção de arte e o design dos personagens, além do jogo de Wii U ter muitos bugs e problemas técnicos (como quedas na taxa de fps) mesmo sendo um game graficamente feio.

Apesar de ter detestado os jogos, eles nunca me preocuparam muito em relação ao futuro da franquia porque a Sega havia deixado claro que eles não tinham nenhuma ligação com a série principal do azulão. Eles foram desenvolvidos por estúdios terceirizados e são considerados spin-offs, a série principal do Sonic continuaria sendo desenvolvida pelo estúdio japonês Sonic Team com o design de personagens tradicional que a gente ama. Tudo o que eu precisaria fazer era só ignorar esses títulos e consumir apenas os tradicionais. Só fiquei apreensivo pela possibilidade que eles sujassem a imagem da franquia do mesmo jeito que Sonic 2006 fez ou que confundissem o público, já que nem todo mundo entenderia que se tratava de uma sub série paralela.

Todavia, as pessoas superestimam muito o impacto negativo destes jogos. Sonic Boom: The Rise of Lyric foi lançado exclusivamente para o Nintendo Wii U, o console de mesa menos popular da Nintendo e um dos menos populares da história (vendeu menos unidades que o Sega Dreamcast, para efeitos de comparação). Ele também teve vendas extremamente fracas atingindo cerca de 400 mil cópias comercializadas. Os dois jogos de Nintendo 3DS também tiveram vendas minúsculas, o segundo não atingiu nem 50 mil cópias, sendo talvez o título menos vendido da história do Sonic. Isso significa que pouquíssimas pessoas de fato tiveram acesso a estes jogos.

Em contrapartida, o desenho animado foi sucesso absoluto. A série de quadrinhos também, a edição de estreia quebrou recorde e se tornou a edição de uma série de HQs do Sonic mais vendida da história até aquele momento.

Isso significa que, apesar do fiasco que os jogos foram, a iniciativa Boom cumpriu sua função. Expandiu a marca Sonic, trouxe uma nova geração de fãs. O público geral vai se lembrar de Sonic Boom pelo desenho animado e quadrinhos, não pelos jogos, já que muito pouca gente teve acesso a eles. Confesso que tenho até um pouco de curiosidade de ler as HQs do Boom porque elas foram escritas pelo Ian Flynn, roteirista de longa data dos quadrinhos do Sonic que é muito talentoso. Conferir como era a série animada também, mas preciso superar o meu preconceito a atrocidade que fizeram com o Knuckles!

"Mas Sonic Forces fracassou, foi o último prego no caixão do Sonic"

(Imagem retirada da internet)

Eu acho que se tem um jogo do Sonic que exemplifica a histeria coletiva e o melodrama que existe em cima do personagem é Sonic Forces. De fato, é um jogo que não atingiu as expectativas de boa parte da fanbase, incluindo eu mesmo. Forces foi lançado 4 anos depois do Sonic Lost World e com um monte de promessas nas costas, incluindo a de ter sido feito pela mesma equipe criativa responsável pelo Sonic Colors e Sonic Generations, dois dos jogos modernos mais amados pelo público.

Quando ele foi lançado, porém, nos deparamos com um jogo com fases muito curtas e sem desafio, com jogabilidade e level design simplificados quando comparados a jogos do Sonic que utilizam a mesma fórmula de gameplay (Unleashed, Colors e Generations) e muitas sessões automáticas. Por fim, boa parte das promessas dos trailers não foram cumpridas. Em um deles, a Sega dava a entender que teríamos o retorno do Chaos (de Sonic Adventure) e do Shadow como vilão, mas no jogo não enfrentamos nenhum dos dois. Entre outros problemas que o jogo apresenta (posso abordá-los em uma análise futura).

Vilões lendários aparecem no trailer de Sonic Forces da E3 de 2017.

Contudo, é um exagero tremendo considerar esse jogo ruim ou um fracasso. Muitas pessoas propagam que ele é bugado e quebrado, as críticas mais absurdas dizem que Forces é pior que Sonic 2006. Na realidade, em questões técnicas o título é bem redondinho, é praticamente bug free e roda a maravilhosos 60fps no PS4 e Xbox One. Sonic Mania, lançado anteriormente, que sim teve problemas com excesso de bugs e precisou de várias atualizações de correção, apesar de ser um jogo inquestionávelmente excelente.

Eu percebo que a maior parte da rejeição do Forces vem de fãs de longa data do ouriço. Os problemas do título, como a simplicidade do level design, passam batido em jogadores casuais. Se comparamos Forces com Unleashed ou Generations, é visível o quanto este jogo parece um downgrade destes dois, apesar de ser visualmente mais bonito, mas quem nunca jogou esses dois títulos não vai encontrar muito o que reclamar.

Toda vez que um amigo que não está acostumado a jogar Sonic me pede uma recomendação de título para conhecer melhor a série, recomendo Sonic Forces, já que é um jogo barato e acessível hoje em dia. Sempre recebo bons feedbacks e, para minha surpresa, esses meus amigos não acham o jogo tão fácil. Acredito que Sonic Forces seja um jogo inofensivo para a reputação da série. Essa minha experiência não é uma evidência científica, porém, se observarmos a nota do jogo na loja da Playstation Network, percebemos que aparentemente o público geral de fato tem uma visão bem diferente sobre o título que os fãs hardcore.

Sonic Forces possui uma boa nota na PSN.

Para finalizar, Sonic Forces não foi um fracasso comercial. Utilizando como base, novamente, os dados do VGChartz, ele vendeu 1,6 milhões de cópias (basta somar os números das 3 plataformas: xOne, PS4 e Switch). Estes números contemplam apenas cópias físicas e estão desatualizados, já que o VGChartz não atualiza nem contabiliza mais vendas de software. São números bem próximos aos que Sonic Generations teve durante o mesmo período após lançado. Se considerarmos que o mercado de mídia digital atualmente possui uma boa participação nas vendas de qualquer título, podemos estimar que Sonic Forces teve um desempenho bom.

[Atualização 23/03/2020:

Eu encontrei um vídeo no Youtube que explica exatamente o meu ponto de vista a respeito do Sonic Forces. Vou anexar ele aqui para quem tiver interesse, infelizmente está em inglês.


Ele explica como Sonic Forces é um jogo mais acessível a novos jogadores.]

Concluindo

Acabei me estendendo mais do que gostaria, mas em resumo, esses dados comprovam que a franquia Sonic está indo bem comercialmente. Que não existe necessidade para pânico. Quando se trata de Sonic, qualquer coisa ou qualquer mínimo erro cometido pela Sega já é justificativa para as pessoas propagarem que o mascote está morto. Como diz o título do post: "morrendo desde 2002", já faz quase 20 anos e o Sonic "morre" de novo a cada jogo.

Apesar de várias pisadas na bola, o saldo da maioria dos projetos da Sega na última década foram positivos. Isso porque não mencionei o sucesso dos quadrinhos da IDW ou do filme lançado recentemente. Sonic Mania foi um sucesso e trouxe antigos fãs de volta. Sonic Forces não agradou tanto, mas é um título inofensivo que pode satisfazer jogadores casuais, o mesmo pode ser dito de Team Sonic Racing.

Neste post, eu apresentei uma perspectiva e dados mais positivos a respeito da situação da franquia, mas futuramente pretendo discorrer mais sobre os erros e oportunidades perdidas pela Sega.

Comentem nos comentários se concordam ou discordam, compartilhem com seus amigos fãs do azulão 😉

Comentários

  1. Cara! O post me deu muito conteúdo,pois AMO games mas nunca gostei de alguns muito marcantes como Sonic por exemplo. Sou um "GAMER" estranho D+! rs, quer tentar entender? Amo PES (atualmente jogo o 2017 devido a restrições orçamentárias kkk) Amo jogos de luta (KOF, Street Fighter, Blood Roar, Soul Calibur, SkillGirls ...) Amo MMO RPGs (acabei me afastando por motivos de saúde mental, mas ainda jogo POE quando dá, pois meu pc fica mais incompatível a cada atualização e fiquei chateado quando minha conta de Dragon Nest Europe simplesmente sumiu! ...) mas odeio PVP, curto Tower Defense e amei os "Orcs must Die"... tem muito mais, cara, é muita coisa que eu curto, e olha que nunca tive um pc ou plataforma que me permitissem jogar coisas "do momento", to sempre alguma gerações atrás rs. Uma coisa que é inevitável é que mercados mudam, fãs nem sempre verão o que acontece, tem amor ou ódio fica tudo difícil de ver, mas eu que não sou fã sempre vejo algo do Sonic em algum lugar, acho que mudar muito um jogo icônico acaba "afrontando" fãs, eu por exemplo amo "Zelda", (sem piadinhas sobre o Link não ser a Princesa ... já deu rs) e o último parece o melhor, mas ainda não joguei, vejo gente falando que está muito diferente e não é mais "Zelda", que Zelda morreu ... sei lá, tipo, eu joguei o primeiro e meu sonho é ver um Zelda 2d, com mundo gerado aleatoriamente com elementos de RPG e Tower Defense além de construção de base, tipo endless game sabe, mais ou menos nos moldes de "Portal Knights" ... mas certamente dirão que não é mais Zelda ... em fim, opinião é uma coisa pessoal :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pior que eu não curti muito o último Zelda. Também sou fã da franquia, mas não consegui me adaptar a essa coisa de mundo aberto. Fico incomodado com as armas quebrarem e a gente ter que ficar estocando elas, por exemplo.

      Eu acabei me divertindo mais com o Skyward Sword de Wii, mas esse último Zelda fez muito sucesso né, só não é muito a minha vibe. Também não curti tanto Final Fantasy XV pelo mesmo motivo.

      Excluir
  2. Oi! Adorei o blog novo! Super concordo com seu post. As pessoas falam do que não sabem, né? Sonic é assim como Mario e até mesmo Pokémon, o tipo de coisa que nunca vai morrer. O que surgir,E vende. Eu gosto muito do ouriço azul e o sucesso que o filme dele fez só afirma mais o nosso ponto de vista.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim! Amei muito o filme. Já quero assistir de novo quando sair em streaming.

      Excluir
  3. O que dizer desse blog que eu mal conheço mas já considero pacas? Sonic foi o primeiro jogo que tive contato na minha vida, por isso sempre traz uma nostalgia muito grande mesmo que eu não tenha acompanhado tão de perto os lançamentos do ouriço. Fico feliz de saber que ele vai muito bem, obrigado, haha.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Dica: clique em "notifique-me" para que você seja avisado(a) por e-mail quando eu responder seu comentário.